Já temos um plano para começar a correr cinco quilômetros em menos de seis semanas, demos os passos anteriores e estamos prontos para dar início a nossa prática de corrida, então, chegou o momento de falar sobre o aquecimento.

Embora algumas pessoas não deem importância, porque consideram que leva tempo do treinamento, isto o torna mais eficaz, ajudando a retardar a fadiga e executar melhor os movimentos.

Também aumenta a temperatura do corpo, estimula a circulação e prepara os músculos, três chaves essenciais para evitar lesões e possíveis problemas cardíacos.

Como devemos aquecer?

O primeiro ponto que não podemos esquecer é que o aquecimento deve ser realizado com movimentos lentos e suaves, para que nossas articulações se aqueçam pouco a pouco.

Se estivermos começando e nossa corrida vai durar pouco tempo bastará dedicar os primeiros dez minutos a uma caminhada, acelerando o passo na metade e trotando um pouco antes de começar a correr.

Embora nunca seja demais aproveitar desde o início para aprender alguns bons alongamentos, que uma vez que aumentamos o ritmo já teremos que incorporar sempre em nosso aquecimento.

Primeiro alongaremos as pernas completamente, desde os tornozelos até em cima para não nos esquecermos de nada, depois também devemos dedicar alguns minutos para a parte superior, fazendo movimentos circulares com os braços, rotações de tronco e exercitando os ombros levantando-os e baixando-os.

O que não devemos fazer?

Sair com o tempo muito apertado e começar a correr como loucos sem passar pelo aquecimento. Isso tem que ficar gravado na mente: não devemos fazer nunca!

Tampouco é preciso forçar os alongamentos, nem fazer movimentos bruscos. Se você sentir dor é porque está ultrapassando, as sensações devem ser agradáveis.

Por outro lado, um aquecimento deve ser breve, cerca de 10 a 15 minutos no total, para nos prepararmos para a corrida, não se trata de nos esgotarmos antes de começar, nem é o momento de render ao máximo, assim é preciso ter calma.

Outro erro habitual é o de melhorar o treinamento, mas manter o mesmo aquecimento que no início. Se num primeiro momento valia à pena caminhar e trotar um pouco, à medida que vamos avançando devemos incorporar alongamentos e inclusive estender um pouco o tempo dedicado ao aquecimento, para que seja proporcional ao esforço que vamos realizar mais tarde.

Finalmente, não se esqueça de alongar também no final da corrida, parar de uma só vez pode ser tão prejudicial quanto não aquecer, embora este ponto seja mais fácil de levar em conta, porque o corpo nos pede diretamente!