O corrimento aquoso líquido, conhecida como leucorréia vaginal, é comum entre as mulheres, começa com a puberdade e vai até o final da menopausa.

A quantidade varia de mulher para mulher e aumenta durante o ciclo menstrual. Corrimentos aquosos são bastante frequentes, significando uma vagina saudável. Eles ajudam a expulsar as bactérias, mantendo a área vaginal livre de infecções.

No entanto esses corrimentos podem ser perigosos durante a gravidez. Leia mais para saber sobre as razões por trás deles, tratamento e prevenção.

Leia mais: "Alimentos Que Melhoram A Saúde Vaginal".

Corrimento Vaginal na Gravidez

As razões do corrimento durante a gravidez depende do estágio da gravidez.

Com base no tempo que você está, as características e implicações podem ser diferentes.

Corrimento Claro no Primeiro Trimestre da Gravidez

Corrimento claro durante o ínicio da gravidez ou no primeiro trimestre tem um cheiro mais ácido. Assemelha-se ao corrimento mais viscoso produzido durante o ciclo menstrual.

Por Que Ocorre?

Esse corrimento aparece devido ao aumento dos níveis de estrogênio que aumenta o fluxo sanguíneo na área vaginal, levando o aumento das secreções.

Corrimento Vaginal Durante o Segundo Semestre na Gravidez

Durante o segundo trimestre, pode ocorrer um corrimento mais aquoso.

Nesse ponto se assemelham na cor e consistência da clara de ovo. É perfeitamente normal, no entanto existem alguns tipos de corrimento no segundo trimestre, como secreção manchada de sangue ou corrimento fétido que pode indicar prolemas.

Corrimento Vaginal Durante o Terceiro Trimestre

Nesse ponto, o corrimento pode se apresentar em muitas formas, na cor, odor, quantidade e até mesmo presença de sangue.

Um fluxo intenso perto da data de nascimento do bebê, pode ter entrado em trabalho de parto prematuro ou a bolsa estourou.

Tipos de Corrimento na Gravidez

Corrimento Vaginal Normal na Gravidez

A maioria dos casos de corrimento aquoso na gravidez é normal. Você não precisa se preocupar com o seguinte:

Leucorréia

Como mencionado, é normal. É fino, claro e aguado na consistência.

Pode ser percebido como um dos primeiros sintomas de gravidez, pois aparece logo no ínicio da gravidez.

Corrimento Sangrento ou Castanho

Na última semana de gestação, pode ocorrer um corrimento castanho, significa que você está proximo de entrar em trabalho de parto.

Esse muco faz parte do tampão que bloqueia o colo do útero, prevenindo infecções.

Líquido Amniótico

No terceiro trimestre pode ser um pouco do seu líquido amniótico vazando.

Sendo pouco é uma ocorrência perfeitamente comum.

Corrimento Vaginal Anormal na Gravidez

As vezes, o corrimento está associado a outros sintomas que causam sofrimento e irritação. Em tais casos, eles são anormais e podem ser sinal de um dos seguintes:

Trabalho de Parto Prematuro

Uma pequena quantidade de sangue na última semana de gravidez é normal, mas se for excessiva pode indicar trabalho de parto prematuro. Vá ao médico imediatamente se isso ocorrer.

Candídiase

São comuns e podem ocorrer a qualquer momento, mas podem causar muito desconforto na gravidez. Além do corrimento aquoso verde-amarelado, pode ocorrer vermelhidão, irritação e dor ao urinar.

DSTs

O corrimento pode ocorrer devido a doenças sexualmente transmissíveis contraídas durante a gravidez. Doenças são um assunto muito sério. Por isso é importante manter seus exames em dia.

Vaginose

Causada por bactérias, é acompanhada de ardência ao urinar. Além disso o cheiro é desagradável. Precisa ser tratado imediatamente, pois pode levar ao parto prematuro ou mesmo ao aborto espontâneo.

Quando o Corrimento Vaginal Pode Ser Sinal de Infecção?

Como o corrimento é comum durante a gravidez, a maioria das mulheres não sabe dizer quando elas são causadas por infecções.

  • Excesso de secreções, especialmente após a 27ª semana de gestação.
  • Mudanças repetinas na cor ou cheiro.
  • Coceira, inflamação, vermelhidão ou dor na vagina.
  • Febre persistente.
  • Dificuldade em urinar.

Preste muita atenção aos sinais que vem com o corrimento. Se você observar qualquer um dos sintomas, consulte o seu ginecologista.