O zinco é um dos minerais que mais benefícios oferece para a nossa pele. De fato, é o oligoelemento mais importante de todos em relação a esta. É o responsável pela cicatrização de feridas e manutenção da pele, entre outras ações.

Este mineral está presente em quase todo o corpo, uma vez que é um componente em mais de 200 enzimas. Concentra-se nos órgãos genitais, glândulas endócrinas, pituitária, no cabelo, unhas, ossos e tecidos pigmentados dos olhos.

Entre suas fontes alimentares estão os cereais integrais, como flocos de trigo e gérmen de trigo, levedura, flocos de aveia, arroz, pão integral, trigo ou milho.

Quanto aos frutos secos, contêm mais zinco as sementes de abóbora e sementes de girassol, amendoim, nozes, amêndoas e avelãs. No que diz respeito às verduras, você pode encontrá-lo nas cebolas, alho, salsa, cogumelos ou feijão; e nos legumes, como lentilhas, ervilhas, grão de bico ou soja. No que diz respeito às carnes, está presente em ovos, fígado ou marisco.

Como favorece principalmente a nossa pele, se detecta rapidamente a falta de zinco nela, quando as feridas demoram pra cicatrizar ou na dermatite ao redor dos orifícios destas. Quando a deficiência é muito importante, se manifesta através de mudanças bruscas na pele.

Uma deficiência marginal pode se ver refletida, além da cicatrização lenta de feridas, na acne, eczema e psoríase. O mais apropriado para determinar a carência de zinco no organismo é por meio de uma análise de leucócitos.

Leia também: "Benefícios do Zinco".

Por último, o zinco é utilizado como um tratamento muito valioso para a acne. Uma dose eficaz de zinco é de 30 – 45 mg por dia, tanto para esta condição da pele como qualquer doença da mesma. No entanto, se você notar qualquer alteração na pele, consulte o seu médico para que, se necessário, prescreva a quantidade adequada de zinco e seu tratamento.