A dor é uma sensação chata e desagradável e pode ocorrer em qualquer parte do corpo, que tem uma função protetora contra os agentes nocivos.

Ou seja, o seu aparecimento é um alerta de que algo em seu organismo não “anda muito bem” e que é necessário tomar medidas a respeito.

A dor pode se manifestar como resposta, por exemplo, a um golpe, ao excesso de ácidos no estômago, a inflamação de uma articulação, a exposição ao calor, etc.

No entanto, quando esta se prolonga por mais de três meses ou se torna recorrente ao longo do tempo, recebe o nome de dor crônica e é, nesse momento, que deixa de ser um benefício e converte-se em um fardo que limita a vida e prejudica a quem está padecendo dela.

Existem muitas doenças que podem causar a dor crônica, como fibromialgia, artrite, dor nas costas, enxaqueca, etc.

É importante observar que a dor crônica é muito frequente hoje em dia, mais do que um sintoma é considerada uma doença em si, e, segundo as estatísticas, os maiores de 55 anos e, principalmente, as mulheres são as que mais sofrem.

No entanto, apesar disso, é sempre possível melhorar mediante remédios caseiros e recomendações naturais, como as seguintes:

Dor Crônica: Remédios Caseiros Para a Dor Crônica

Remédios Caseiros Para a Dor Crônica

  • Ferva durante 5 minutos, 1 colher de sopa de casca de salgueiro em um copo de água. Após esse tempo, retire do fogo e deixe esfriar. Coe e beba um copo quando notar os primeiros sintomas.
  • Ferva durante 10 minutos, 3 colheres de sopa de camomila em 1/2 litro de água. Em seguida, coe e despeje essa infusão, ainda quente, em água na banheira. Permaneça no banho por 15 minutos.
  • Pressione com firmeza, se você sofre de dor crônica muscular, o ponto onde dói com o dedo polegar durante 5 segundos e solte. Repita a operação várias vezes.
  • Despeje um punhado de argila vermelha em um pouco de água. Misture até obter uma pasta homogênea e aplique diretamente ou através de um pano de algodão limpo, como cataplasma, sobre a área dolorida. Este remédio é muito útil em caso de dores articulares, reumatismo, ou inflamações.
  • Tome boswellia, que é uma resina de uma árvore nativa da Índia que possui um potente efeito anti-inflamatório e analgésico. É encontrada em farmácias botânicas em cápsulas e comprimidos.
  • Tome meia colher de chá de açafrão ao dia, que deve ser dividida em várias doses. Contém o princípio ativo, curcumina, que diminui a inflamação e a dor.

Recomendações

Verificar o que é consumido. Existem substâncias que intervém no mecanismo de dor que são as chamadas enzimas de COX1 e COX2 (ou ciclo-oxigenase), as quais facilitam a formação de substâncias inflamatórias chamadas prostaglandinas (PGE2), semelhantes aos hormônios. Quando estas se produzem em excesso e de forma contínua durante muito tempo, favorecem o aparecimento de dor crônica.

Por isso, é conveniente evitar o consumo de alimentos que favorecem o aumento de prostaglandinas e da inflamação como a carne vermelha, salsichas, frutos do mar, doces, bolos, alimentos fritos, manteiga, chocolate, café, etc. E consumir aqueles que ajudam a sua redução, como grãos integrais, laticínios com pouca gordura, brotos de alfafa, sementes de girassol e abóbora, amêndoas, peixe azul e branco, cenoura, frutas cítricas, kiwi, etc.

Neste sentido, é muito importante o consumo de ômega 3 contido no pescado azul, nozes e chia, já que tem uma potente ação anti-inflamatória e calmante.

Evite alimentos que contenham aditivos. Alimentos que contém, por exemplo, potenciadores de sabor, como o glutamato monossódico, que excita o sistema nervoso e agrava dores como a enxaqueca. O mesmo ocorre com o café ou álcool, alimentos altamente processados. As aminas, como a tiramina (no queijo cheddar ou gouda) e feniletilamina (no chocolate, bebidas de cola ou chá) também intensificam a dor.

Evite falar sobre a dor várias vezes por dia (mesmo com o médico), uma vez que, de acordo com pesquisa realizada, quando se torna um tema constante de conversa, é mais difícil de controlar.

Seja positivo. Está demonstrado que as substâncias relacionadas com o estado de humor (dopamina, serotonina, endorfinas…) também estão envolvidas na dor. Se a pessoa se levanta com um humor negativo, pode agravar a dor. Por essa razão, é melhor ficar animado, cheio de positividade e a dor crônica será mais tolerável.

Evite o estresse, já que de acordo com pesquisa realizada, o bombardeio de adrenalina gerado por situações estressantes provoca dor. Rir em voz alta por 15 minutos tem um efeito terapêutico sobre a dor, porque além de ajudar a aliviar a tensão, aumenta a produção de endorfinas (substâncias calmantes). Por isso, as sessões de riso terapia são eficazes.

Praticar técnicas de relaxamento, como ioga, reduzem o desconforto.

Evite o sedentarismo. Não é fácil para uma pessoa que sofre de uma doença como a artrite se mover, mas se não fizer isso, vai ser pior, porque os tecidos, articulações, músculos, etc., enfraquecem agravando a sensação de dor. Portanto, recomendamos encontrar uma atividade que caia bem para a pessoa. Sempre existe uma alternativa adequada, apenas é preciso encontrá-la e começar de forma muito suave.

Fazer exercício. É importante saber que o exercício físico aumenta a produção de endorfinas (hormônios anti-dor), melhora a oxigenação dos tecidos, a eliminação de resíduos tóxicos, a tonificação muscular, a flexibilidade articular e reduz a dor. Nadar e caminhar (por uma hora, três ou quatro dias por semana) são os melhores exercícios que pode realizar as pessoas que sofrem de dor crônica.

Andar e sentar-se com boa postura. As pessoas que sofrem de dor crônica tendem a encolher para tentar amenizar o transtorno, mas isso provoca mais tensão articular e muscular, que pode gerar lesões e aumentar ainda mais a dor. Daí a importância de andar e sentar-se com as costas retas e se esticar ao longo do dia.

Procure dormir bem. A falta de descanso provoca, em pouco tempo, a deterioração física e tensão muscular, o que aumenta ainda mais a dor. Portanto, nós recomendamos ter um horário de sono regular, praticar atividades relaxantes (por exemplo, um passeio) no final do dia, descansar em um bom colchão. Você também deve incluir alimentos relaxantes no jantar como aveia, peixe branco, alface, banana, etc., e tomar infusões como a passiflora antes de deitar.

Procurar um médico se a dor crônica se agravar, já que é necessário que ele avalie se existe algum tratamento que você está realizando e que pode influir negativamente nas dores. Neste sentido, existem certas drogas que destroem nutrientes ou outras que desequilibram o organismo incrementando a dor. É necessário não abusar dos analgésicos, já que recorrer a eles de forma contínua pode acabar tornando crônico o transtorno.