À escoliose é uma curvatura para um lado da coluna vertebral.

Quando se vê de trás, a coluna vertebral costuma parecer perfeitamente em linha reta. A escoliose é uma curvatura lateral da coluna vertebral geralmente combinada com uma rotação das vértebras.

A curvatura lateral da escoliose não deve ser confundida com as curvas normais Antero-posteriores da coluna que se veem de lado. Apesar de um pequeno grau de curvatura lateral não causa nenhum problema médico, curvas mais elevadas podem causar um desequilíbrio postural e dar lugar a dor musculares.

A escoliose mais grave pode interferir com a respiração e dar lugar a artrose da coluna vertebral (espondilose). Aproximadamente 10% dos adolescentes têm certo grau de escoliose, embora menos de 1% apresentam curvaturas que necessitam de cuidados médicos, além do simples controle. A escoliose se encontra tanto em meninas como meninos, mas uma curvatura da coluna vertebral em uma menina é mais provável que evolua para uma escoliose. As meninas costumam precisar de tratamento para escoliose cinco vezes mais do que os meninos. A razão para estas diferenças não se conhece.

Quatro de cada cinco casos de escoliose são idiopáticos, o que significa que a causa é desconhecida. Embora a escoliose idiopática tenda a se apresentar em vários membros da mesma família, não foram identificados os genes responsáveis pela doença.

Remédios Caseiros Para Escoliose

As crianças com escoliose idiopática parecem, por outro lado, estar completamente saudáveis, e não têm nenhuma doença articular ou óssea no início da vida.

A escoliose idiopática é classificada de acordo com a idade de início:

Infantil. A curvatura aparece antes de três anos de idade. Este tipo é muito raro em alguns países, mas mais comum em outros.

Juvenil. A curvatura aparece entre três e dez anos. Este tipo pode ser equivalente ao adolescente, com exceção da idade de início.

Adolescente. A curvatura aparece entre 10 e 13 anos, perto do início da puberdade. Este é o tipo mais comum de escoliose idiopática.

Adulto. A curvatura começa depois de completar a maturação física.

São conhecidas as causas que originam outros três tipos de escoliose:

  • A escoliose congênita se deve a defeitos de nascimento da coluna vertebral, muitas vezes associados com defeitos em outros órgãos.
  • A escoliose neuromuscular se deve a uma perda do controle dos nervos ou músculos que sustentam a coluna vertebral. As causas mais comuns deste tipo de escoliose incluem paralisia cerebral e distrofia muscular.

Leia também: “Escoliose – Como Evitar a Escoliose“.

A escoliose degenerativa pode ser causada por uma degeneração dos discos que separam as vértebras ou por uma artrose dos músculos que as unem.

A escoliose causa uma marcada assimetria no tronco, quando se vê a partir de um ponto de vista anteroposterior. O primeiro sinal de escoliose costuma se manifestar quando a criança está com um traje de banho ou roupa íntima, situação em que parece estar se apoiando sobre uma perna com um ombro mais alto do que o outro. Uma escápula é mais proeminente do que a outra devido à rotação. Nas meninas uma mama é mais alta do que a outra ou pode parecer maior se a rotação empurra para frente.

A progressão da curvatura é maior durante o crescimento do adolescente. É mais provável que a escoliose que se inicia precoce evolua de forma positiva do que a escoliose que se inicia mais tarde na puberdade.

Na maioria dos países, existem programas de detecção precoce da escoliose em crianças e adolescentes, conduzidos por enfermeiras, médicos ou professores.

O diagnóstico de escoliose geralmente é realizado por um ortopedista. É obtida uma história clínica completa, com perguntas sobre a história familiar de escoliose. O exame físico inclui uma determinação do desenvolvimento puberal em adolescentes, um exame neurológico (que pode revelar uma causa neuromuscular) e as medidas de assimetria do tronco.

A exploração do tronco é feita com o paciente em pé, inclinado para frente e esticado, e inclui tanto uma inspeção visual como o uso de dispositivos mecânicos simples, especificamente um escoliômetro.

Se for detectada uma curvatura, podem ser solicitadas algumas radiografias para definir com mais precisão. A radiografia é usada para documentar a maturidade espinhal e a simetria pélvica das cadeiras, assim como a localização, extensão e grau da curva. A curvatura é definida em termos de início, final e direção de progressão, assim como pela medição do ângulo conhecido como o ângulo de Cobb.

O ângulo de Cobb é determinado projetando as linhas paralelas dos vértices vertebrais até as extremidades da curva; as projeções perpendiculares a partir destas linhas traçam um ângulo de intersecção que se mede.

Para seguir adequadamente o processo da escoliose, é importante fazer a projeção desde os mesmos pontos da coluna de cada vez. Em ocasiões se usa a ressonância magnética, principalmente para estudar melhor a situação da coluna vertebral e as raízes nervosas em caso de suspeitar da existência de problemas neurológicos.

Leia também: “Escoliose – Tipos, Tratamentos e Sintomas da Escoliose“.

Remédios Caseiros Para Escoliose:

É importante observar, que não existe nenhuma maneira conhecida para evitar o aparecimento da escoliose. O tratamento mais recomendado, uma vez que se apresenta a doença, é o uso de espartilhos. Os remédios caseiros e naturais ajudam a complementar esse tratamento reduzindo, em grande medida, a dor que pode ser sofrida com a escoliose e ganhando flexibilidade.

  • Despeje uma colher de sopa de casca de salgueiro em uma xícara de água e deixe ferver por 5 minutos. Deixe repousar e coe. Tome 1 xícara por dia. Não consuma este remédio em caso de alergia à aspirina.
  • Ferva 1 xícara de água e, em seguida, adicione 1 colher de sopa de raiz de garra do diabo lavada e picada. Cubra e deixe esfriar. Tome 1 xícara por dia.
  • Participe de sessões de quiropraxia, já que pode aliviar a dor.
  • Procure sessões de acupuntura e acupressão para ajudar a reduzir a dor e desconforto.
  • Pratique terapias do movimento (tai-chi, igongo, dança e yôga) que permitem melhorar a flexibilidade e são úteis quando usadas junto com terapias de educação do movimento, técnica de Alexander e Pilates.

Recomendações:

• Embora seja importante para a saúde geral e a força do organismo, não tem sido demonstrado que o exercício previne ou reduz o desenvolvimento da escoliose. No entanto, pode melhorar a dor da escoliose para manter tonificados os músculos.

• Ter uma boa nutrição também é importante para a saúde em geral, mas não foi demonstrado que qualquer regime dietético específico permite o controle do desenvolvimento da escoliose. Em particular, os níveis dietéticos de cálcio não influenciam na progressão da escoliose.