Como qualquer outra parte do corpo, na vagina também podem se desenvolver infecções, e ao contrário do que muitas pessoas pensam, nem todas estão vinculadas com a vida sexual. É o caso, por exemplo, das infecções vaginais causadas por fungos. Aqui te contamos do que se tratam, quais são seus sintomas e muito importante, como evitá-las.

Muitas mulheres têm vergonha de falar sobre os problemas que possam ter em relação à sua vagina ou preferem não falar sobre isso, porque pensam que serão vinculados com sua intimidade sexual. Mas isto não é necessariamente assim. Existem infecções provocadas por alterações na flora vaginal, que podem se desenvolver, por exemplo, como reação aos ingredientes de cremes ou sprays que entram em contato com a vagina ou pelo uso de certos tipos de roupa íntima que impede a passagem do ar para a área genital.

Por isso, é preciso perder a timidez e consultar um médico, pois podem se desenvolver inflamações na vagina (vaginite) ou infecções vaginais que precisam receber tratamento adequado, de acordo com a causa que a provoca (que pode ser por fungos, bactérias, vírus ou parasitas). E como os sintomas muitas vezes são semelhantes, é difícil que você consiga distinguir por si mesma de que tipo de infecção se trata.

7 Maneiras de Evitar as Infecções Vaginais Causadas Por Fungos

Este é o caso das infecções vaginais causadas por fungos ou por cândida (candidíase vaginal), que como seu nome indica, são provocadas causadas por um fungo chamado Candida albicans. Este fungo vive normalmente no corpo sem causar problemas e apenas provocam sintomas quando mudam as condições ambientais em que vivem (por exemplo, quando se toma um antibiótico).

Leia também: “Como Tratar a Candidíase Vaginal“.

Durante a vida, é provável que 75% das mulheres tenham pelo menos uma infecção vaginal por Candida albicans e até 45% têm duas ou mais. Existem mulheres que são mais propensas a ter infecções vaginais por fungos e são:

  • Aquelas que se encontram sob estresse, (uma dieta rica em carboidratos refinados e a falta de sono também contribuem para o desenvolvimento de infecções vaginais por fungos).
  • Aquelas com doenças como a diabetes não controlada.
  • As mulheres grávidas.
  • Aquelas que tomam pílulas anticoncepcionais ou antibióticos.

Como você vê, isso não tem nada a ver com a sua intimidade sexual e por isso a candidíase vaginal não é considerada uma doença sexualmente transmissível (DST).

Algumas mulheres sofrem infecções por fungos todos os meses, em torno do momento em que tem seu período menstrual. Isto se deve as alterações na flora da vagina, mas ter infecções por fungos todos os meses também pode significar que você tem um problema mais grave, como diabetes. Por isso, é muito importante que você fale com seu prestador de cuidados de saúde para que possa te dizer como cuidar da melhor maneira.

Em algumas ocasiões, as pessoas que têm o sistema imunológico (de defesa) baixo também podem ser mais vulneráveis a ter infecções vaginais por fungos com maior frequência. Ter quatro infecções vaginais por fungos por ano poderia ser o primeiro sinal de HIV/AIDS. Se existe a possibilidade de ter sido exposta ao vírus HIV, é importante fazer um exame de sangue para descartar.

Leia também: “Perguntas Comuns Sobre as Infecções Vaginais“.

Quanto aos sintomas da infecção vaginal por fungos, preste atenção ao que você pode sentir:

  • Alterações no fluxo vaginal, que se torna branco, espesso, de aparência semelhante ao queijo ou ricota ou queijo coalho.
  • Prurido (coceira), ardor, vermelhidão e irritação vaginal.
  • Sensação de “ardência” em torno da abertura vaginal, especialmente se a urina toca a área.
  • Dor ou desconforto ao ter relações sexuais.
  • Inflamação (inchaço) dos lábios da vagina (em casos de infecções graves).

Para tratar as infecções vaginais por candida, o seu médico poderia te indicar algum medicamento contra fungos, seja em forma de creme, supositório ou comprimido aplicados por via vaginal, como miconazol (Monistat), clotrimazol (Gyne-Lotrimin) ou Tioconazole (Vagistat) ou poderia te prescrever um comprimido para ser tomado por via oral, o fluconazol (Diflucan).

Mas não use medicamentos contra fungos (embora sejam de venda livre) sem ver um médico, a menos que um prestador de cuidados de saúde tenha diagnosticado infecções por fungos mais de uma vez e você esteja muito segura de que os sintomas são iguais. O que acontece é que, como já mencionamos anteriormente, muitas vezes os sintomas podem ser semelhantes aos de outro tipo de infecção vaginal e nem todas elas aceitam bem os medicamentos contra fungos.

Se você seguir o tratamento adequado, até 90% das infecções vaginais por fungos são curadas em duas semanas ou menos, muitas vezes, em alguns dias.

E enquanto as infecções por fungos não causam qualquer problema de saúde grave, a infecção em si pode ser muito desagradável, por isso te convém que seja diagnosticada e tratada o mais rapidamente possível, ou ainda melhor, que a evite.

O que você pode fazer para prevenir uma infecção vaginal por fungos?

Tome nota do que você pode fazer para ajudar a prevenir este tipo de infecções:

  • Mantenha a área genital externa limpa e seca.
  • Evite o uso de sabonetes irritantes (incluindo os banhos de espuma), as duchas e os aerossóis (sprays) vaginais
  • .

  • Troque os absorventes internos e os absorventes higiênicos com frequência.
  • Use roupa íntima de algodão (em vez de nylon) confortável (não ajustada) que não deixe presa a umidade.
  • Depois de nadar, troque-se rapidamente e coloque uma roupa seca, em vez de permanecer com o traje de banho molhado durante muito tempo.
  • Tome antibióticos apenas quando prescritos pelo seu médico, e nunca os tome por mais tempo do que o recomendado.
  • Se você tem diabetes, tente manter um controle rígido dos seus níveis de açúcar no sangue.

Com esta informação, imaginamos que você já tenha perdido toda a vergonha. Se notar qualquer desconforto em sua vagina, consulte o seu médico o mais rapidamente possível, e lembre-se de fazer os exames de rotina, tal e como o médico indicar.