As infecções estafilocócicas são doenças provocadas pelo microrganismo denominado Staphylococcus e se caracterizam pela formação de abscessos. É a principal causa de infecções originadas nos hospitais (infecções hospitalares).

O estafilococo é um dos germes mais agressivos e costuma viver na pele ou no interior das fossas nasais em 20% a 30% das pessoas saudáveis.

Em ocasiões se encontra no tecido mamário, boca e nos sistemas genital, urinário e respiratório superior. Embora esta bactéria costume ser inofensiva, quando uma lesão ou uma ruptura na pele permite que invada o organismo e supere as defesas naturais do corpo, as consequências podem variar desde um desconforto mínimo até a morte.

É mais frequente que a infecção ocorra em:

  • Recém-nascidos (especialmente aqueles que nasceram prematuramente).
  • Mulheres que amamentam.
  • Pessoas com um sistema imunológico comprometido por tratamentos de radioterapia, quimioterapia, infecções causadas pelo HIV ou medicamentos.
  • Pessoas que usam drogas por via intravenosa.
  • Pessoas com incisões cirúrgicas, doenças de pele e doenças graves como câncer, diabetes e transtornos pulmonares.

Tipos de Infecções Por Estafilococos

Uma infecção estafilocócica localizada está cercada por glóbulos brancos que lutam para combatê-la. A pele localiza por cima está quente e é dolorida ao toque. A maioria destes abscessos costuma drenar espontaneamente deixando sair o pus para a pele, o que pode causar a propagação da infecção.

Remédios Caseiros Para Infecções Por Estafilococos

Uma pequena proporção de infecções estafilocócicas localizadas entra na corrente sanguínea e se espalham por todo o organismo. Em crianças, estas infecções sistêmicas ou disseminadas afetam as extremidades dos ossos longos dos braços ou pernas, dando lugar a uma infecção óssea denominada osteomielite. Quando os adultos apresentam infecções estafilocócicas invasivas, as bactérias costumam produzir abscessos no cérebro, coração, rins, pulmões, fígado e baço.

Choque tóxico. A síndrome do choque tóxico é uma infecção muito grave caracterizada por uma dor de cabeça intensa, faringite, febre de até 40,6°C e uma erupção parecida com uma queimadura solar que se estende desde o rosto até o resto do corpo. Os sintomas aparecem de repente e também podem existir desidratação e diarreia aquosa.

Nas primeiras 48 horas se produz um fluxo sanguíneo inadequado nas áreas periféricas do organismo (choque) e perda de consciência. Entre o terceiro e sétimo dias da doença, a pele das palmas das mãos, plantas dos pés e outras partes do organismo se desprende. Também pode haver lesão renal, hepática e muscular.

Síndrome da pele escaldada. É raro em adultos e mais frequente em recém-nascidos e crianças com menos de cinco anos de idade. Origina-se a partir de uma infecção localizada na pele. Pode existir febre moderada e um aumento do número de glóbulos brancos.

Uma erupção cutânea de cor vermelha brilhante se produz no rosto e se estende para outras áreas do corpo. Aparecem bolhas grandes e macias no local da infecção e outras áreas. Quando se rompem, deixam exposta a pele inflamada como se fosse uma queimadura.

Outras infecções. O estafilococo também pode causar:

  • Artrite.
  • Presença de germes patógenos no sangue (bacteremia).
  • A cúmulos de infecção e pus abaixo da pele (Anthrax).
  • Inflamação do tecido que se estende abaixo da pele, causando dor e inchaço (celulite).
  • Inflamação das válvulas e das paredes do coração (endocardite).
  • Inflamação do tecido que o rodeia e protege a medula espinhal e o cérebro (meningite).
  • Inflamação dos ossos e da medula óssea (osteomielite).
  • Pneumonia.

Leia também: “7 Maneiras de Evitar as Infecções Vaginais Causadas Por Fungos“.

Tipos de Estafilococos

Staphylococcus aureus. Deve seu nome a cor da bactéria quando cultivada em laboratório. É um micro-organismo resistente que pode sobreviver a temperaturas extremas e outras circunstâncias pouco favoráveis.

Entre 70% e 90% da população possui esse tipo de estafilococo nas fossas nasais em algum momento de suas vidas. Embora apenas esteja presente em 5% a 10% das pessoas saudáveis, até 40%, também podem tê-lo na garganta, vagina ou reto, durante vários períodos de tempo, desde horas até anos, sem conduzir a doença.

Este tipo de estafilococo é mais frequente em hospitais, onde infecta o pessoas de saúde, pacientes submetidos à cirurgia, aqueles que apresentam dermatite aguda, diabetes insulinodependente, doença renal submetida à diálise ou que recebem injeções frequentes para dessensibilização de alergias. Esta bactéria também pode contaminar a roupa de cama, cateteres e outros objetos.

Este tipo de estafilococo produz diferentes transtornos. Os mais comuns são as úlceras e a inflamação da pele ao redor do cabelo (foliculite). O choque tóxico e a síndrome da pele escaldada são as infecções mais graves.

Staphylococcus epidermidis. É capaz de contaminar as sondas utilizadas para a alimentação por via intravenosa, assim como os dispositivos prostéticos e outras superfícies. É o micro-organismo que contamina com maior frequência os dispositivos que proporcionam um acesso direto à corrente sanguínea.

A principal bactéria que infecta os pacientes hospitalares é este tipo de estafilococo, que pode afetar pessoas com câncer, cujo sistema imunológico está comprometido e os recém-nascidos que recebem suplementos por via intravenosa.

Este estafilococo também é responsável por dois em cada cinco casos de endocardite em próteses valvulares. Trata-se de uma complicação do implante de uma válvula artificial no coração. Embora a contaminação se produza durante o ato cirúrgico, os sintomas da infecção podem não ser evidentes até depois de um ano da intervenção. Mais da metade dos pacientes que apresentam este tipo de endocardite morrem.

Staphylococcus saprophyticus. Este estafilococo se encontra no interior e ao redor da estrutura tubular que conduz a urina desde a bexiga até o exterior (uretra) em aproximadamente 5% das pessoas saudáveis. É a segunda causa mais comum de infecções do trato urinário sem obstrução em mulheres jovens sexualmente ativas. Este tipo de estafilococo é responsável por 10% a 20% das infecções que afetam os pacientes saudáveis não hospitalizados.

O estafilococo pode se disseminar através do ar, mas a infecção quase sempre é o resultado do contato direto com feridas abertas ou líquidos contaminados por este germe.

Os sintomas comuns da infecção por estafilococos são:

  • Dor ou inchaço em torno de uma ferida ou uma área da pele erodida.
  • Furúnculos ou outros abscessos na pele.
  • Aparecimento de bolhas, descamação ou escamas na pele. Isso é mais frequente em lactentes e crianças pequenas.
  • Aumento do tamanho dos gânglios linfáticos no pescoço, axilas.

Remédios Caseiros Para Infecção Estafilocócica

  • Aplique, compressas úmidas e quentes na área afetada durante 20-30 minutos, três ou quatro vezes por dia. Quando a infecção estafilocócica é superficial, este remédio pode ser eficaz, já que mantém a área limpa e higienizada.
  • Consumir três dentes de alho ou três cápsulas de óleo de alho por dia, começando quando aparecem os primeiros sintomas de infecção.
  • Despeje 1 colher de sopa de planta do amor de jardineiro em uma xícara de água que está fervendo. Cubra e deixe esfriar. Coe e tome 2 vezes ao dia. Este remédio é considerado anti-inflamatório ao reduzir a inflamação dos gânglios linfáticos. Em forma de compressas, pode ser aplicado diretamente sobre uma infecção da pele.
  • Ferva 1 colher de sopa de equinácea em uma xícara de água durante 5 minutos. Deixe repousar, coe e beba uma xícara por dia durante dois meses. Este remédio tem propriedades antibióticas e que fortalecem o sistema imunológico.
  • Adicione algumas gotas de óleo de tomilho em um recipiente com água e embeba nesta preparação uma compressa que se aplica sobre a área afetada.
  • Aplique diretamente algumas gotas de óleo da árvore do chá sobre um furúnculo ou uma infecção da pele.

Leia também: “Dicas Para Evitar Infecções na Pele“.

Recomendações:

• Lave cuidadosamente as mãos com água quente e sabão depois de tratar uma infecção estafilocócica ou uma ferida aberta ou que contenha pus. O pus que se acumula sob a pele no local da infecção deve ser eliminado de forma imediata. Em seguida, é preciso limpar a área afetada com sabonete antisséptico ou antibacteriano.

• Para evitar que a infecção se espalhe de uma parte do corpo para outra, é importante tomar banho mais vezes durante o processo de cicatrização.

• A infecção estafilocócica é transmitida facilmente de um membro da casa para outro, por isso é conveniente não compartilhar toalhas nem roupa de cama. Estas devem ser trocadas todos os dias até que desapareçam os sintomas e é preciso lavá-las separadamente com água quente e lixívia.

• Não compartilhe escova de dente, utensílios para o cabelo, roupas, equipamentos esportivos nem outros instrumentos de higiene pessoal.

• Adotar uma dieta rica em verduras verdes, amarelas e laranjas pode reforçar a imunidade natural. Os nutricionistas e os médicos naturopatas recomendam suplementos de vitaminas ou minerais para compensar deficiências dietéticas específicas.

• Tome entre oito a dez copos de água por dia para ajudar a eliminar os germes do organismo que causam a doença.

• Sabe-se que algumas estirpes de estafilococos contaminam os dispositivos protéticos artificiais implantados no interior do organismo e os tubos que são utilizados para administrar a medicação ou eliminar líquidos do organismo, tais como cateteres e sondas, de modo que devem ser trocados de forma regular, se for possível.

• Também os utensílios retirados devem ser examinados em laboratório para buscar sinais de colonização por estafilococo. Os sintomas podem ser evidentes após alguns meses depois da contaminação, por isso estes pacientes devem ser acompanhados durante bastante tempo.

• Procure terapias tais como ioga (para estimular o sistema imunológico e promover o relaxamento) e acupuntura (para eliminar a dor na área da infecção).

Consulte um médico nos seguintes casos:

  • Um furúnculo ou Anthrax em qualquer área do rosto ou da coluna vertebral. As infecções estafilocócicas que afetam essas áreas podem se estender para o cérebro ou medula espinhal.
  • Um furúnculo se torna muito dolorido. É um sinal de que a infecção se espalhou, e este transtorno pode ser acompanhado de febre, calafrios e aparecimento de manchas vermelhas que irradiam desde o lugar da infecção original.
  • Os furúnculos se apresentam de forma repetida. Este tipo de infecção recorrente pode ser um sintoma de diabetes.